Vazante dos rios no Amazonas reduz o transporte de carga em até 40%

MANAUS - O setor da navegação começa a sentir os impactos da vazante dos rios Amazonas, Solimões e Madeira, principais rotas utilizadas no transporte de insumos e produtos industriais, GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), dentre outros. Devido à redução extrema no nível das águas e a dificuldade de navegação, as embarcações diminuíram em 40% a capacidade de carga transportada, com um acréscimo no tempo de viagem. Como resultado, o valor do frete poderá sofrer aumento de até 20%, ônus que deverá ser repassado aos contratantes dos serviços até o final deste mês. Balsas que chegam ou têm destino a Porto Velho já registram atraso de 15 dias na entrega. Enquanto os navios transportadores de gás contabilizam retardo de cinco dias no fornecimento.